quarta-feira, 12 de junho de 2013

Edgar Morin

Edgar Morin

Sociólogo francês propõe a religação dos sabres com novas concepções sobre o conhecimento e a educação



Foto: Wikimedia
Foto: A simplificação, de acordo com Morin, está a serviço de uma falsa racionalidade
A simplificação, de acordo com Morin, está a serviço de uma falsa racionalidade
Frases de Edgar Morin:

“A escola, em sua singularidade, contém em si a presença da sociedade como um todo”

“A ciência nunca teria sido ciência se não tivesse sido transdisciplinar”


Mudanças profundas ocorreram em escala mundial nas últimas décadas do século 20, entre elas o avanço da tecnologia de informação, a globalização econômica e o fim da polarização ideológica entre capitalismo e comunismo nas relações internacionais. Diante desse cenário, o sociólogo francês Edgar Morin, hoje com 87 anos, percebeu que a maior urgência no campo das idéias não é rever doutrinas e métodos, mas elaborar uma nova concepção do próprio conhecimento. No lugar da especialização, da simplificação e da fragmentação de saberes, Morin propõe o conceito de complexidade.

Ela é a idéia-chave de O Método, a obra principal do sociólogo, que se compõe de seis volumes, publicados a partir de 1977. A palavra é tomada em seu sentido etimológico latino, “aquilo que é tecido em conjunto”. O pensamento complexo, segundo Morin, tem como fundamento formulações surgidas no campo das ciências exatas e naturais, como as teorias da informação e dos sistemas e a cibernética, que evidenciaram a necessidade de superar as fronteiras entre as disciplinas. “Ele considera a incerteza e as contradições como parte da vida e da condição humana e, ao mesmo tempo, sugere a solidariedade e a ética como caminho para a religação dos seres e dos saberes”, diz Izabel Cristina Petraglia, professora do Centro Universitário Nove de Julho, em São Paulo.

Para o pensador, os saberes tradicionais foram submetidos a um processo reducionista que acarretou a perda das noções de multiplicidade e diversidade. A simplificação, de acordo com Morin, está a serviço de uma falsa racionalidade, que passa por cima da desordem e das contradições existentes em todos os fenômenos e nas relações entre eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por dar sua opinião, ela é muito importante para que esse blog fique ainda melhor.

Postar um comentário